11 agosto, 2017

Para além de ti.

Há tempos não escrevo cartas e desaprendi a brincar com as palavras para torná-las mais leves, então perdoa o peso e não desista de ler. 

Hoje quis ouvir tuas desculpas e até mesmo tua culpa, quis saber o motivo da frieza e da reviravolta que sua personalidade deu. Hoje queria conseguir secar todas as lágrimas de magoa que ainda me atormentam, hoje eu queria ter paz, aquela mesma paz que eu tinha antes de te conhecer (ou aquela que você fingiu termos juntas). Hoje eu queria ser menos eu e engolir a decepção a seco, e continuar vivendo como se nada tivesse acontecido. Hoje eu queria pensar menos em você, e nos poucos dias que estive ao seu lado. 

Hoje queria parar de forjar sorrisos pra demonstrar que passou, tem algo me cortando por dentro, e são as palavras que eu não te falei, pra não te magoar, então as deixei no ar... já você soltou suas atitudes que falaram por si só, e que me deixaram sem ar.

O que mais doí é saber que agora, pra mim, você só é metade do que me disse ser (metade porque metade de mim acredita que ai dentro de você tem o alguém por quem eu admirava tanto). Hoje eu só queria sua paz! Eu só queria parar de lembrar das cenas que pra mim poderiam ser forjadas, mas que eram apenas sua vida... Desculpa se te atrasei, se te privei, se te espantei, o tesouro que eu parecia estar nas mãos era tão brilhoso que ceguei, ceguei por você. A culpa desde o inicio foi minha, fique aliviada, tenho essa mania de entrar em vidas erradas, de procurar abrigo onde já tem gente instalada. 

Teríamos criado um laço lindo, mas deixemos pra outra vida, nessa a gente já se embaraçou demais.

O hoje vai ficando pra trás, e vai levando tudo isso com ele, amanhã recomeço.

Fica em paz,
sendo você,
do bem,
pro bem,
meu bem.

P.S: Teu sorriso continua sendo a coisa mais linda que já esbarrou na minha vida.
-
S.

2 comentários:

  1. Caramba, Sam.
    Tem coisa que parece que não passa nunca, né? A gente fica só na espreita. Que nem soluço. "será que é agora?"
    Não é.
    Nunca é.
    Que diaxo tem esse negócio dentro do nosso peito que gruda uma mágoa misturada de amor e uma beleza que parece tão impossível?
    Tudo é impossível quando se trata do outro, né?
    O sorriso. A linha do canto da boca. O olho miúdo, o cabelo enrolando no nosso dedo.
    E também toda decepção que a gente já vivenciou. Tudo o que a pessoa silencia cotidianamente, quando o que a gente queria ouvir era todo dia uma desculpa esfarrapada diferente.
    Égua, eu só queria ouvir uma desculpa esfarrapada. Podia ser a mesma. Impossível.
    Sinto muito, compartilho dessas dores. Parece até que eu xeroquei seu coração no meu. hahahaha
    Espero que passe. Amor surreal, desses imaginários mas verdadeirassos (todo embasado nas contradições do mundo), não tem outra definição: é foda.
    Mas fica bem. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca passa, mesmo quando a gente acha que tá passando.
      Acho que esse diaxo deve ser alguma esperança de desculpas (mesmo sendo esfarrapadas) ou de voltas, ou de qualquer sinal de fumaça...
      Ou pode ser até porque sentimos muito mesmo, e não devemos nos envergonhar disso.
      Um dia a gente se liberta, ou não, rs.
      Mas vamos ficar bem, do nosso jeito. <3

      Excluir

'E que depois de me ler você consiga tudo aquilo que ainda sonho' Sam Sousa